/blog/a-informacao-como-ferramenta-para-a-eficiencia-na-gestao-publica
  • Início
  • Blog Betha
  • A informação como ferramenta para a eficiência na gestão pública

Blog Betha

Palavra Chave
Filtrar por
Data
 
« Voltar ao blog

A informação como ferramenta para a eficiência na gestão pública



POR Allan Jonson Piccini | terça-feira, 06 de dezembro | CONTABILIDADE

Como se sabe, a gestão governamental se apropria de informações para possibilitar o seu livre acesso pela coletividade. Tanto que nos últimos anos, o controle social no Brasil ganhou apoderamento com a publicação da Lei da Transparência e da Lei de Acesso à Informação.


Resultados fiscais e operacionais do governo nunca tiveram tanta evidência como nos dias de hoje. O gerenciamento da máquina pública e a efetividade das ações de governo se tornaram pautas comuns de discussões. E é justamente o equilíbrio entre estas duas temáticas que o transformou em um grande, senão o maior desafio da gestão pública na atualidade. Dá-se, a isto, o nome de “eficiência na governança”.


Mas afinal, o que é eficiência?


É a capacidade que tem o gestor público de aplicar recursos de forma otimizada. Fazer mais com menos.


Muitas pessoas ainda rementem informações a questões relacionadas à publicidade. Porém, o que se nota e se propõe neste texto é o incentivo à utilização da eficiência como um instrumento de governabilidade. Afinal, a citação “não se gerencia o que não se mede” (William Deming) tornou-se muito apropriada para o contexto brasileiro.


As informações atualmente produzidas não são suficientes para medir a eficiência, justamente por ela estar voltada à gestão de caixa e de obrigações, e o atual julgamento que se dá a um “bom gestor público”, muito provavelmente não será o mesmo que se dará daqui a alguns anos.


O atendimento ao amparo constitucional (no cenário municipal), ao aplicar 25% das receitas em educação não significa que o gestor foi eficiente. Afinal, não se pode encontrar por este resultado a efetividade da aplicação.


Por isso são necessárias informações que possibilitem um gerenciamento das ações governamentais voltado a resultados. A adoção da contabilidade por competência (geração de accruals) e a qualificação da informação sob uma visão de custos são exemplos da evolução informacional que já estamos vivendo. 


A necessidade de o profissional contábil prover estas informações é inevitável. E assim, mecanismos de avaliação de resultados já estão em discussão. Com isso, recai sobre o contador esta responsabilidade de elaboração.


Prova disso são os indicadores que estão sendo criados para avaliar o grau de qualidade dos demonstrativos contábeis.


Mas, e a eficiência? 


Justamente por contar com uma informação mais requintada, será proporcionada uma medição mais exitosa no que se refere às entregas de ações e serviços públicos.


Técnicas de mensuração naturalmente surgirão. De momento, indicadores de desempenho econômico e social parecem ser boas ferramentas para medir a eficiência na aplicação de recursos.


Contudo, o “bom gestor público” de amanhã será aquele que com poucos recursos insere mais alunos em sala de aula e eleva sua educação para índices qualificados no IDEB.


E para que este processo de maturação seja contínuo, cabe:

- Aos contadores e aos fabricantes de software potencializarem este processo.

- Aos gestores se adequarem a esta nova tendência de governo.

- E aos cidadãos exigirem de seus representantes uma gestão direcionada a desempenho.


E a aplicação mínima de 25%?


Talvez tenha se tornado obsoleta.


Conheça nossos principais serviços:


Contabilidade pública

e-Nota

Sistema para prefeituras





Acompanhe nossas Redes Sociais
Instagram Instagram
x Normas e Procedimentos

INFORMAÇÕES

A sua inscrição estará finalizada somente após o recebimento do e-mail de confirmação, enviado pela Universidade Corporativa. A Universidade Corporativa reserva-se o direito de cancelar o treinamento se a quantidade mínima de inscrição não for atingida. Para solicitar qualquer informação sobre nossos treinamentos, acesse a página de contato ou ligue: (48) 3431-0733 Rama: 4792

FORMAS DE PAGAMENTO

Normas Financeiras:
1 a 2 inscrições por instituição: pagamento integral;
3 inscrições por instituição: 15% de desconto;
4 ou mais inscrições por instituição: 20% de desconto.

Através de Sose:
A SOSE será enviada ao participante por e-mail e deverá ser reenviada (digitalizada) assinada pelo responsável do setor junto aos dados de Empenho (se necessário), antes da realização do treinamento. O faturamento será efetuado posteriormente, em nome da instituição participante.

Através de Boleto (PF):
No caso de faturamento para pessoa física, é enviado por e-mail ao participante, o boleto para pagamento. Este deverá ser quitado antes da realização do treinamento e reenviado (digitalizado). Após o pagamento do mesmo, é enviada a nota fiscal.

Observações:
Das pessoas que se inscreverem e não comparecerem ao treinamento será cobrado uma multa de 30% do valor de cada inscrição, em fatura.
Não será reembolsado o valor pago na inscrição a clientes que não comparecerem ao treinamento sem aviso prévio.

x